Novos condomínios terão pontos de abastecimento para carros elétricos

Com o crescente interesse do consumidor por carros elétricos e híbridos, o mercado imobiliário sai na frente e inclui pontos de abastecimento destes veículos nos novos condomínios residenciais. Com isso, além de atender aos usuários,  valorizam ainda mais os empreendimentos.  

 

Encontrar o equilíbrio entre atividade econômica e meio ambiente e ainda implantar diretrizes para melhorar o deslocamento das pessoas é sem dúvida um dos grandes desafios do planeta nos dias atuais. Talvez por isso o interesse da população por carros elétricos ou híbridos esteja em franco crescimento.

No Brasil, os dados 2019 da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apontaram um salto de 3970 carros elétricos ou híbridos licenciados  em 2018,  para 11.858 unidades no ano passado, ou seja, um  aumento de 198%.

E a expectativa da entidade é que mesmo com todos os desdobramentos da pandemia de 2020, o número continue a crescer nos próximos anos.

Os incentivos ainda são tímidos, porém importantes. Agora, o que se se discute são as formas para tornar mais amigável tanto a aquisição desses veículos quanto a disponibilização de infraestrutura e das regras necessárias para o abastecimento.

Embora ainda não exista uma Lei Federal que obrigue a isenção de IPVA para esse tipo de veículo, vários estados brasileiros adotaram redução parcial ou total do imposto.  É o caso dos estados do Maranhão, Paraná, Pernambuco, Piauí, Sergipe, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte, que dão 100% de isenção para carros elétricos e híbridos. O Distrito Federal  também aprovou recentemente a isenção do IPVA para os próximos cinco anos para quem investir nesse tipo de carro.

Já o estado do Ceará terá a partir de 1º de janeiro de 2021, alíquota de 0,5% no pagamento do imposto para estes veículos, enquanto o estado de São Paulo  incentiva os carros não poluentes com cobrança de até 50% no valor do IPVA.

 

Mercado Imobiliário sai na frente

Ciente das novas tendências, o mercado imobiliário investe em alternativas para facilitar a vida de quem optou por carros movidos à eletricidade. Percebeu, por exemplo, que entregar um empreendimento com ponto de abastecimento é se antecipar às mudanças e estar atento às necessidades do consumidor.

Os novos condomínios se preparam para a demanda e muitos já oferecem a previsão de instalação de pontos de abastecimento, como é o caso do Edifício Solarium, localizado na Ponta D’Areia, em São Luís – MA da construtora e incorporadora Ergus Engenharia, considerado um projeto de tecnologia de ponta nesse e em vários outros aspectos.

Enquanto isso, os condomínios mais antigos criam as condições e fazem as adaptações necessárias para atender aos moradores usuários deste tipo de veículo.

A grande questão dos condomínios está relacionada à cobrança da energia utilizada, já que o valor não pode ser dividido igualmente entre todos os moradores, uma vez que nem todos possuem veiculo hibrido ou movido à energia elétrica.

Mas existem alternativas. Os especialistas da área afirmam que quando prevista desde a planta, a instalação do ponto de recarga é mais fácil e barata, já que a maioria das construtoras disponibiliza pontos de energia em espera nas garagens.

Quando o condomínio também utiliza energia solar fotovoltaica, outra tendência em alta do mercado imobiliário pode optar pela instalação de uma estação única colocada numa vaga de visitante, por exemplo, e assim atender todo o empreendimento.  Nesses casos, o excedente de energia produzida pelas placas solares e não consumida pelos equipamentos elétricos gera um credito na conta de luz. Portanto, o consumo gerado pelo abastecimento dos carros pode não ter custo direto para os moradores.

 

Tecnologias para carregamento

Com um mercado crescente no Brasil, mas ainda dando seus primeiros passos, rapidez no carregamento dos carros elétricos ainda é um problema, assim como a dificuldade para achar um ponto de recarga.

Atualmente há pontos em supermercados, shoppings centers e postos de combustíveis, além de locais privados como empresas e estacionamentos, especialmente nas grandes cidades.

Por essa razão, dispor de uma unidade de recarga para veículos nos condomínios traz muitas vantagens. Além de praticidade e conforto, o fato de apoiar iniciativas sustentáveis acaba sendo um componente a mais para a valorização do patrimônio imobiliário, tanto do conjunto (condomínio) como de cada unidade residencial ou comercial.

Não vai demorar muito e as pessoas vão esquecer do cheiro de combustível exalando no ar. Ao abastecer um carro elétrico, o motorista entra no posto, conecta a eletricidade e sai com a autonomia total de seu carro. Não precisa, sequer, descer do veículo.

O tempo de recarga total dos veículos varia de acordo com a potência do eletroposto, sendo que normalmente o equipamento instalado em condomínios abastece um veículo de 3h a 8h. Nesse caso, o consumo médio de energia é de 40 kWh por recarga ao valor de R$30, sendo possível rodar até 300 km. Esse valor equivale a 25% do total que seria gasto para fazer o mesmo percurso à gasolina.

Já existe no mercado – especialmente europeu e norte americano – tecnologias diferenciadas que controlam o processo de carregamento até por smartphone. De acordo com os pesquisadores, muito em breve esse “up grade” estará disponível no Brasil.

 

Como funcionam os carros elétricos

A principal diferença entre híbridos e elétricos é o motor. Os carros híbridos possuem dois diferentes tipos de motor: um a combustão e outro elétrico.

Já o carro elétrico tem um motor alimentado por uma bateria. Existem opções com diferentes tipos de autonomia. Este tipo de carro, chamado também de ecológico, não consome qualquer combustível fóssil quando se desloca, nem produz emissões de gases poluentes. Além de benéfico para o ambiente, os custos por viagem são muito mais baixos do que num carro com motor a combustão. Os elétricos são mais simples e não exigem tanta manutenção como os movidos à gasolina ou diesel.

Outro diferencial importante dos carros elétricos é a ausência de ruído do motor, permitindo viagens mais silenciosas e tranquilas.

A aceleração nesse tipo de veículo também costuma ser mais rápida do que um carro com motor à gasolina ou diesel, pois  entregam potência de forma linear.

Os custos de manutenção também são menores: como não existem partes móveis no seu motor elétrico, não há necessidade de mudar correias, filtros ou óleo.

Ao longo dos últimos anos, os carros elétricos têm diminuindo o consumo de energia e aumentado a sua autonomia. Isto foi possível pelo desenvolvimento de motores mais eficientes.

Mas é bom estar atendo: assim como nos carro movidos à combustão, a autonomia é influenciada por vários fatores como as condições de utilização, a velocidade, a tecnologia integrada ou acessórios ligados.

A bateria, no entanto, é um dos componentes que geram as dúvidas sobre os carros elétricos. É claro que, para sua preservação e aumento da vida útil, determinados cuidados precisam ser tomados, como monitoramento das temperaturas elevadas e evitar descargas e cargas muito rápidas.

Anterior
Condomínios sustentáveis e econômicos são prioridade no mercado imobiliário
Próximo
Edifício Solarium terá laje técnica para instalação de ar condicionado
Menu